Para Ana Lepsch, encontrar inspiração é uma consequência de manter a mente aberta para tudo aquilo que possa tocar nossa alma. As expressões artísticas do séc. XIX e a natureza interpretada e um pouco sombria do art nouveau serão sempre um ponto de partida para as criações da designer. Essas inspirações resultam num trabalho extremamente delicado e etéreo, que valoriza detalhes,  em que o clássico se encontra com o moderno, com extrema qualidade na execução e nos materiais utilizados.

A joalheria atual é acervo que alia a tecnologia moderna às técnicas clássicas e tradições artísticas e artesanais desenvolvidas desde a antiguidade por diversas culturas e povos.

O desenho deve saber misturar o novo e o antigo, buscar a simplicidade e a beleza nessa mistura de influências. O desenho, assim como a beleza, não tem fronteiras, não tem raça e não tem idade.

img_001